Por: Fala, Zanfra!
Visualizações: 916

Justiça? Ah, a Justiça…

13/10/2016

Publiquei a crônica abaixo no blog Fala, Zanfra! em 26 de novembro de 2007.

Apesar da indignação geral que o assunto provocou, só agora, nove anos depois de constatado o abuso, a juíza responsável pela ‘hospedagem’ da menina durante 26 dias junto a 30 homens, foi ‘condenada’ a ficar dois anos sem exercer suas funções de magistrada.

O detalhe, porém, é que para ficar os dois anos dedicada ao ócio a juíza Clarice Maria de Andrade, de Abaetetuba (PA), vai receber integralmente seu salário. Mas esse não é um privilégio dela: TODOS os juízes envolvidos em irregularidades costumam ser afastados de suas funções sem prejuízo dos vencimentos.

E vai falar alguma coisa, que você ainda é processado e pode ter de pagar por danos morais aos dignos magistrados...

 

A VIRGEM ENTRE OS LEÕES

Quando foram divulgadas as primeiras notícias sobre o caso da menina de 15 anos que passou um mês na cadeia entre três dezenas de animais predadores famintos, no Pará, o grau de indignação da sociedade foi proporcional ao ineditismo da situação. Imagine só: UMA garota numa cela entre homens, em UMA prisão de UMA cidade brasileira. A indignação foi notável, mas era proporcional a UM absurdo. E agora, quando já foram feitas mais três ou quatro denúncias de casos semelhantes? E agora, quando a “Folha” divulga que há abusos contra mulheres nas prisões em seis Estados – sem contar o Pará?

No episódio da adolescente de Abaetetuba, as “autoridades” “responsáveis” pelo descalabro destroçaram pelo menos três respeitáveis instituições, enquanto a menina vivia seu terror íntimo: o Estatuto da Criança e do Adolescente, a Lei de Execução Penal e o instituto do bom senso – este último mais maleável que os outros dois, mas nem por isso menos merecedor de respeito.

Jamais um adolescente, especialmente do sexo feminino, poderia ficar na mesma cela que um adulto, especialmente do sexo masculino. Corromper essa postura – assim, na formulação simples em que ela está colocada – já bastaria para detonar a instituição da lógica, da cidadania e da civilização. Multiplicar esse poder de destruição pela quantidade de adultos na cela e pela quantidade de dias em que a adolescente esteve subjugada desconstrói tudo o que o gênero humano pensante tentou erguer, através de articulações legais como o ECA e a Lei de Execução. O que pensar se, em 2007, a despeito do Estatuto, da Lei de Execução, da Declaração dos Direitos Humanos, do bom senso, dos preceitos religiosos e outros dogmas legais e morais, as “autoridades” “responsáveis” oferecem aos predadores famintos a tenrura da carne adolescente?

O que parece mais espantoso é que o caso da “virgem entre os leões” não era um segredo guardado nas profundezas do cárcere: ela estava ali, visível através das grades a quem passasse pela rua. Mas a indignação dos vizinhos só despertou quando a indignação do resto do País se fez ouvir. Ninguém denunciou, ninguém cobrou providências ou exigiu interferência antes que Abaetetuba passasse a figurar no mapa diário da imprensa nacional.

Medo? De quê? A mim, parece que isso acontece apenas porque barbárie na pele dos outros é refresco. Ninguém se envolve, ninguém se compromete. Estará todo mundo pouco se lixando enquanto houver espaço para respirar, enquanto os respingos não atingirem sua família. Além disso, quantos não estavam certos de que ela simplesmente estava pagando por seus erros, sofrendo na carne por uma opção de vida que nenhum deles a obrigou a seguir?

Mais posts do autor
Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
este post

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Opiniões expressas nos blogs e colunas por meio de suas publicações são de exclusiva responsabilidade do autor, não passam por qualquer controle de edição, editoração ou conteúdo e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.

Blogueiros & Colunistas

Voltar