Por: Fala, Zanfra!
Visualizações: 2371

Minha mão esquerda

26/02/2019

Lendo estes dias uma antiga crônica do Ruy Castro na Folha, em que ele relata as dificuldades de ter um membro imobilizado em virtude de uma fratura, lembrei-me da época em que meu braço direito foi inteiramente engessado por causa de uma fratura de úmero, e me vi obrigado a repensar meus conceitos de motilidade humana.

Provavelmente só os destros vão entender meu drama, mas vocês já tentaram escovar os dentes com a mão esquerda? Demorei pelo menos duas semanas até atingir a coordenação necessária, mas no começo eu chegava a escovar as duas orelhas a cada tentativa de ater-me à arcada dentária.

Comer, só de colher, porque me era impossível manter uma carga de arroz equilibrada naquele espaço exíguo e aparentemente volátil do garfo. Tive a sorte de contar com a benevolência da funcionária de um restaurante no centro de Cuiabá – esqueci de dizer que morava lá na época, em 1994 – que cortava meu bife em pedaços pequenos e me desobrigava da necessidade de rasgar a carne nos dentes, sob o risco adicional de ver o braço esquerdo, com o garfo em punho, atingir um comensal vizinho de mesa.

Mas diz que a necessidade é mãe da invenção... e eu completaria que ela é mãe também das adaptações, no mais darwiniano dos sentidos. Se eu dissesse que, ao cabo de um mês, já estava conseguindo amarrar os sapatos usando apenas a mão esquerda meus poucos mas compassivos leitores acreditariam?

Juro que é verdade. Assim como também é verdade que, além de conseguir escovar os dentes mantendo as orelhas intactas, aprendi a passar o fio dental – ainda que de uma forma precária, devo confessar – usando apenas três dedos da sinistra.

O problema é que, ao retornar à configuração original, voltei a fazer tudo novamente com a mão direita e perdi o sinistrismo. De modo que, se acontecer novamente um engessamento do braço direito, terei de reaprender minhas antigas habilidades.

Só que, agora, vinte e cinco anos mais velho...

PS.: Semana que vem, conto essa triste história de como fraturei o úmero em Cuiabá!

Mais posts do autor
Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
este post

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Opiniões expressas nos blogs e colunas por meio de suas publicações são de exclusiva responsabilidade do autor, não passam por qualquer controle de edição, editoração ou conteúdo e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.

Blogueiros & Colunistas

Voltar