Por: Cronicidade
Visualizações: 1609

Ressaca

28/09/2013

O mar anda inquieto nos últimos dias. Ressaca das boas – para encarar um surfe “de sobrevivência” ou simplesmente para contemplar as ondas grandes, sem sustos, em terra firme. Sob qualquer ângulo, a revolta do oceano é um espetáculo fascinante.


É revigorante a sensação de fragilidade diante da força que emana do céu e do mar em conjunto. Ouve-se claramente o recado da natureza, a verdadeira regente da vida no planeta, ao contrário do que acreditam alguns homenzinhos pretensiosos.


A ressaca surge e desaparece de tempos em tempos, eventualmente deixando um rastro de destruição. Ela faz parte da odisseia de cada vida humana. A mais longa (e mais difícil de lidar) é a ressaca da juventude. Quando termina a idade da irresponsabilidade, nos vemos diante de uma longa estrada sem volta. Aos poucos perdemos o sentimento de novidade permanente que um dia nos deu a ilusão de sermos imortais.


Tem também as ressacas etílicas, mais comuns na juventude, e que permanecem ao longo da estrada, muitas vezes como uma forma de buscar sensações (e ilusões) perdidas.


Tem a ressaca do inverno, quando saímos de casa para sentir o sol da primavera na pele curtida pelo frio acumulado. Depois vem a ressaca do verão, que culmina com os excessos carnavalescos, como se o mundo fosse virar um amontoado de cinzas na quarta-feira.


Tem a ressaca do fim de um relacionamento, a ressaca de uma demissão, a ressaca de uma conquista, a ressaca da derrota do seu time, a ressaca da vitória do seu time. Uma ressacada sem fim. Saber enfrentar uma ressaca e passar por ela é um atributo essencial para qualquer pessoa, e não apenas para os surfistas.


Olho o mar revolto e me sinto mais humano. A ressaca é a imagem perfeita dos eternos ciclos da vida. Ela me faz sentir um pouco mais perto de Deus.

Mais posts do autor
Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
este post

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

O Blog

Cronicidade
Autor: Rafael Leiras Cronicidade é o mesmo que periodicidade, ou seja, o estado do que ocorre em tempos determinados. Esta palavra incomum, esquecida nos dicionários, também parece fundir as ideias de crônica e cidade – dois territórios onde transcorre a vida, com seus ciclos eternos, seus tempos determinados. Cronicidade dá nome a este espaço, abrigo de fotografias e textos, livres de rótulos ou classificações. Simples registros do cotidiano da nossa época. Rafael Leiras é jornalista, escritor e roteirista. Nas redações, trabalhou como repórter em jornais do Rio de Janeiro e de Florianópolis.

Opiniões expressas nos blogs e colunas por meio de suas publicações são de exclusiva responsabilidade do autor, não passam por qualquer controle de edição, editoração ou conteúdo e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.

Blogueiros & Colunistas

Voltar