Opinião - 24 Fev 2014 12:34

Até quando seremos reféns da ação dos flanelinhas?

Estamos sim, diante de um problema mais social do que criminal, pois não há lei sobre isto
Por: Direto da Redação
 

Quando fazemos uma análise do perfil de quem exerce a função de flanelinha, em sua quase totalidade vemos negros, moradores de comunidades, de baixa escolaridade, baixa ou nenhuma renda e sem vínculo empregatício, que acabam por fazer dessa atividade sua atividade trabalhista.

Em alguns locais, principalmente durante o dia, os flanelinhas são educados, de bem e conhecidos dos usuários de veículos que precisam estacionar nas ruas da nossa cidade. Contudo o principal problema se dá, durante eventos em finais de semana e durante o período noturno, onde as abordagens são de maneira agressiva e intimidatória.

Confira a íntegra deste texto no blog do Léo Silvano


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar