Florianópolis, Geral, São José - 29 Mar 2020 18:55

Carlos Moisés volta atrás e acena prorrogar quarentena em SC

Governador se reuniu neste domingo (29) com prefeitos e outras lideranças
Por: Direto da Redação TSF
 
Carlos Moisés volta atrás e acena prorrogar quarentena em SC (Foto: divulgação / Secom)

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, voltou atrás e anunciou neste domingo (29) a prorrogação por mais sete dias da quarentena que terminaria na terça-feira (31). Bancos, lotéricas e cooperativas de crédito estão autorizados a abrirem as portas nesta segunda (30), mas com restrições.

Moisés participou de uma reunião pela manhã com os prefeitos das maiores cidades do Estado e os presidentes das 21 Associações de Municípios. De acordo o Governador, a retomada gradual de alguns serviços não essenciais depende da preparação do sistema de saúde para a crise do coronavírus. Essa organização está condicionada à chegada de recursos e EPIs por parte do governo federal, além de equipamentos para leitos de UTI que foram comprados pela Secretaria de Estado da Saúde.

- Todas essas questões nos levam a uma posição muito tranquila de que temos que aguardar um pouco mais para colocar em ação o nosso plano de retomada das atividades econômicas. Precisamos estruturar melhor a nossa rede para que não tenhamos o risco de uma sobrecarga do sistema enquanto os equipamentos ainda estão chegando -, afirmou.

O governador fez ainda uma fala forte em relação à prioridade na preservação da vida em Santa Catarina durante o combate à pandemia da Covid-19.

- Essa decisão está tomada, no sentido de colocar a vida em primeiro lugar em Santa Catarina. Haverá efeitos econômicos muito grandes? Sim, mas o Estado não pode se omitir em um momento como esse. É necessário um esforço extra de cada um para que possamos superar essas dificuldades. Precisamos da união de todos os entes públicos e contamos com o apoio dos prefeitos nesse momento -, disse o governador aos prefeitos.

Cuidado com os profissionais de saúde

O secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino, destacou a importância de se manter os profissionais da saúde protegidos durante a pandemia. De acordo com ele, em razão dos problemas logísticos enfrentados pelo Ministério da Saúde para o envio dos EPIs, faz-se necessária a prorrogação da quarentena.

- Não podemos correr o risco de uma abertura sem a garantia do fornecimento de proteção aos profissionais de saúde. Eles precisam estar muito bem equipados. Hoje o nosso estoque operacional ainda não tem capacidade de atender a todos os municípios. Precisamos garantir que todas as regiões de Santa Catarina. Essa é uma questão que nos preocupa -, afirmou Zeferino.

A reunião virtual deste domingo (29) foi mediada pelo chefe da Casa Civil, Douglas Borba. Último a falar, o presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), prefeito Saulo Sperotto, de Caçador, elogiou a atitude do governador de reunir as lideranças dos municípios e ressaltou a necessidade do isolamento social.

- Essa reunião é muito importante. Precisamos sincronizar nossas atitudes e atuar juntos, em busca de um alinhamento. É importante todos os esforços nesse sentido -, disse Sperotto.

Comunicação unificada
Carlos Moisés também fez um apelo para a unificação da comunicação dos entes públicos durante a crise da Covid-19, com a Secretaria Executiva de Comunicação (Secom) à frente do processo. De acordo com o governador, se as informações partirem de um único canal, facilita-se o entendimento das medidas por parte da população. Trata-se de uma estratégia de sucesso em períodos de crise.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar