Manezinhos pelo Mundo - 25 Ago 2013 17:00

Catarinenses desbravam a neve da Patagônia em busca de desafios

Expedição com seis pessoas saiu de Florianópolis e se aventurou na Cordilheira dos Andes
Por: Paulo Evangelista
 
Catarinenses desbravam a neve da Patagônia em busca de desafios Grupo se reúne para desbravar a Patagônia (Foto: Divulgação / Rivelino)

Até onde a vontade de descobrir novos desafios para sair da rotina de escritórios, reuniões, enfim, uma vida ‘normal’ como a de tantas outras pessoas que tem nos seus trabalhos o maior desafio vai? Um grupo de seis catarinenses há muito tempo saíram da, por vezes monótona, vida dos negócios para se aventurar nas neves da Argentina.  Foram 10 dias se aventurando pela Patagônia, percorrendo milhares de quilômetros de carro.

Veja algumas fotos da excursão pela Patagônia

Desde 2011, o engenheiro Paulo Cézar e o administrador Vicente reúnem um grupo para desbravar a Cordilheira dos Andes e chegar o mais próximo possível do vulcão Copahue. Paulo Cezar conta como foi à ideia dele e Vicente transformarem a aventura em hábito:

- A primeira vez foi em 2010 na cidade de Esquel, que fica a 300km abaixo de Bariloche. Mas é uma cidade que neva pouco. Subíamos a Cordilheira (dos Andes) e íamos descobrindo neve subindo 1100 1200 metros. Depois, pesquisando, descobrimos que existia uma cidade que ficava no alto da Cordilheira, a 1650m acima do nível do mar.  Então em 2011 fomos para Caviahue.

A neve, por várias vezes, cobriram os jipes da expedição (Foto: Divulgação / Rivelino)A neve, por várias vezes, cobriram os jipes da expedição (Foto: Divulgação / Rivelino)

A partir da descrição feita por Paulo Cezar pode-se notar que eles encontraram o seu habitat, uma segunda casa. O desafio de percorrer com carros normais pela neve onde apenas carros especiais conseguem torna obsessiva a aventura. Nem os imprevistos por estar longe do conforto de sua casa em Florianópolis faz desanimá-los em busca dos seus desafios:

- Lá temos desafio. O principal é o vulcão Copal, o objetivo é chegar o mais perto possível da cratera do vulcão. Só se chega lá de Motonieve e Snowtrack, carro com esteira. O desafio nosso é andar onde eles andam com carro com pneu, que é muito mais difícil.

Junto com a equipe que foi para os Andes o registro é feito por um fotógrafo e cinegrafista e sempre acompanhado de um mecânico, que é indispensável, já que em todas as expedições alguns carros não resistem e quebram como conta o engenheiro sobre a última viagem:

- Os carros sempre quebram. Levamos peça de reposição, mas dessa vez um carro quebrou a caixa de câmbio e não tínhamos como consertar. Nem com mecânico.

Termômetro registra que dentro do Jipe a temperatura está mais baixa do que fora (Foto: Divulgação / Rivelino)Termômetro registra que dentro do Jipe a temperatura está mais baixa do que fora (Foto: Divulgação / Rivelino)

Outro desafio são as baixas temperaturas e as subidas ingrimes. Por várias vezes a temperatura dentro do veículo é menor do que a registrada fora da caminhonete. As subidas tornam a viagem, ao mesmo tempo mais radical porém com muito mais dificuldade.

A expedição anual já se tornou parte do roteiro dos aventureiros e em 2014 já está confirmada mais uma expedição para continuarem a desbravar a Patagônia.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar