Florianópolis, Social - 24 Jul 2013 11:53

Centro POP já abriga 200 moradores de rua na Passarela Nego Quirido

Pelo menos metade dos que chegam para jantar preferem dormir na rua para poder usar drogas à vontade
Por: Róbinson Gambôa
 
Centro POP já abriga 200 moradores de rua na Passarela Nego Quirido População de rua recebe abrigo, roupas e alimentação. (Foto:Mauro Vaz/divulgação)

O número de moradores de rua atendidos pela força-tarefa instalada no Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (POP), na passarela Nego Quirido, já chegou a 200 pessoas desde sexta-feira, como confirmou o secretário municipal de Assistência Social de Florianópolis, Alessandro Abreu, que nesta quarta-feira (24) pela manhã visitou as instalações para ver de perto como o trabalho está sendo feito. No entanto, parte dos sem-teto que estão sendo atendidos prefere não permanecer durante a noite para dormir, já que somente na rua vão ter liberdade para usar drogas. Na terça-feira (23) à noite, das 140 pessoas que compareceram para jantar, apenas 80 permaneceram até a manhã do dia seguinte.

No Centro POP, a população de rua está recebendo alimentação, agasalhos e também um local para dormir. Médicos, psicólogos, enfermeiros e dentistas da rede pública estão avaliando um a um para identificar outras doenças, além da dependência química. A psicóloga Grasiele Silva, nomeada há pouco menos de um ano no município, explica que a abordagem junto aos moradores de rua precisa ser feita com critérios, buscando desenvolver um laço entre as pessoas e o serviço oferecido pelo município.

- Nas conversas que temos com eles, procuramos provocar uma reflexão, buscar uma conscientização e um projeto de vida em cada um. É um trabalho a longo prazo que precisa ser feito sem pressa. Só de conseguir faze-los virem até aqui já é gratificante para nós -, explicou.

Nesta quarta-feira (24) à noite, a novidade será uma distribuição de pizzas, patrocinadas por uma Ong que tem auxiliado no atendimento. Segundo o diretor do Centro, Bruno Francalassi, um grupo de voluntários do projeto Route auxilia todas as noites no trabalho de triagem com as roupas e agasalhos doados, que precisam ser separados por peças. A força-tarefa já arrecadou mais de 3 mil peças de roupa e quase 500 pares de calçados. A maior necessidade são roupas e calçados masculinos, além de materiais de limpeza e higiene.

O abrigo deverá funcionar de forma provisória até a próxima sexta-feira, dia 26, quando as temperaturas deverão se estabilizar em Florianópolis. Além das 150 vagas na passarela, a prefeitura dispõe de outras 30 vagas no Abrigo Institucional do Centro, 30 vagas na Casa de Apoio do Jardim Atlântico, além de 14 vagas em uma entidade conveniada.

- Muitos dos servidores públicos que estão aqui têm feito trabalho voluntário, trabalhando algumas horas a mais do que o expediente normal -, revelou Bruno.

O secretário Alessandro Abreu anunciou também que em agosto será lançado o programa Despertar, que vai implantar oficinas no Centro POP para incentivar atividades de renta alternativa entre a população de rua. Também serão instaladas bases móveis nos pontos considerados mais críticos quanto à utilização de drogas nas ruas do centro.

 


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar