Florianópolis, Polícia - 06 Jul 2018 08:08

Chacina em Canasvieiras: cinco pessoas são mortas dentro de um hotel

Crime ocorreu na madrugada desta sexta (6)
Por: Direto da Redação TSF
 
Chacina em Canasvieiras: cinco pessoas são mortas dentro de um hotel (Kátya, Magal, Paulo e Leandro Loro (Foto: Facebook / Divulgação)

Atualizada às 19h30min

Cinco pessoas foram mortas na madrugada desta sexta (6), nas dependências do Hotel VB Residencial, em Canasvieiras, no Norte da Ilha. Entre as vítimas estavam o proprietário do hotel, Paulo Gaspar Lemos, de 73 anos, e seus filhos, Leandro Gaspar Lemos, de 44, (conhecido como Magal), Paulo Gaspar Lemos Junior, 51, e Katya Gaspar Lemos, 50, além de um amigo da família, Ricardo Lora, gaúcho de Caxias do Sul, que era sócio dos Lemos numa boate na SC-401. Todos os corpos tinham mãoe e pés amaarrados, dando indícios de que foram torturados antes de morrer, provavelmente por asfixia.

O Hotel fica na rua Rua Doutor José Bahia Bitencourt, conhecida como Caminho do Rei, próximo à avenida Madre Maria Vilac. Os corpos foram encontrados em locais diferentes, entre a lavanderia, que fica no subsolo, e quartos entre o segundo e o quarto andar. Uma funcionária que sobreviveu ao ataque contou aos policiais que três homens armados invadiram o local por volta das 16h, e só foram embora por volta da meia-noite. A funcionária contou que também foi rendida e amarrada, mas acabou tendo sua vida poupada. Ela conseguiu se soltar das cordas e chamar a polícia. Sua identidade está sendo mantida em sigilo, já que ela agora seria uma peça fundamental na investigação.

Uma das vítimas, Paulo Junior, de 51 anos, filho do proprietário, tinha deficiência mental. A família também era proprietária do Spazio, uma casa de shows situada na SC-401 e que estava desativada. O pai, Paulo Gaspar, mantinha residência em Jurerê e também colecionava carros antigos. Cerca de 20 deles permanecem estacionados no subsolo do hotel.

Segundoa Polícia, os matadores deixaram marcas nas paredes de um dos quartos, com a sigla do PCC, a organização criminosa de São Paulo que trava uma disputa com traficantes catarinenses do PGC, pelo controle do tráficona região de Floripa.

Quatro das vítimas, o pai e os três filhos, são oriundos de São Paulo, mas residiam em Florianópolis há cerca de 10 anos. Segundo informações de testemunhas, as empresas da família passam por uma crise, tanto que no horário do crime, não havia nenhum hóspede no estabelecimento. Paulo Gaspar havia contraído muitas dívidas, inclusive com funcionários em questões trabalhistas. Em São Paulo, onde no passado ele manteve uma revenda de automóveis, ele respondia a mais de 100 processos na Justiça.

A filha Katya, de 50 anos, mantinha um conhecido trabalho em defesa dos animais, e não respondia a nenhum processo na Justiça.

As polícias Militar e Civil estiveram no local ainda durante a madrugada. Os corpos foram retirados pelos peritos e levados ao IML.

(Foto: Divulgação)(Foto: Divulgação)


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar