Agricultura, Florianópolis, Geral, Grande Floripa, Turismo - 06 Ago 2020 19:15

Cultivo de ostras e mexilhões é interditado em Floripa e Governador Celso Ramos

Cicasc identificou substancias como toxina diarréica em amostras
Por: Direto da Redação TSF
 

Três fazendas marítimas que trabalham no cultivo de ostras e mexilhões foram interditadas na tarde desta quinta (6) em Florianópolis e Governador Celso Ramos, na Grande Floripa. A medida foi tomada pela Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, que proibiu o cultivo devido à presença de ficotoxina Ácido Okadaico - também conhecida como toxina diarreica - acima dos limites permitidos.

A interdição atinge as estruturas localizadas na Fazenda da Armação, no em Governador Celso Ramos, e de Sambaqui, Santo Antônio de Lisboa e Cacupé, em Florianópolis, A partir desta quinta-feira (6), está proibido retirar e comercializar ostras, mexilhões e seus produtos, inclusive nos costões e beira de praia dessas áreas.

Exames laboratoriais detectaram a concentração de ficotoxina Ácido Okadaico acima do autorizado nos cultivos de moluscos bivalves. Quando consumida por seres humanos, essa substância pode ocasionar náuseas, dores abdominais, vômitos e diarreia.

- Esse é um fenômeno recorrente em Santa Catarina nessa época do ano devido, principalmente, às mudanças climáticas, aumento de temperatura e luminosidade. Além da influência das marés baixas, que permitem a maior concentração dessas microalgas em locais mais protegidos -, explica o gerente de Aquicultura e Pesca da Secretaria da Agricultura, Sérgio Winckler.

A Cidasc intensificou as coletas para monitoramento das áreas de produção de moluscos interditadas e arredores. Os resultados dessas análises definirão a liberação ou a manutenção da interdição. Os locais de produção interditados serão liberados após dois resultados consecutivos demonstrando que os moluscos estão aptos para o consumo.

Maricultura em Santa Catarina

Santa Catarina é o maior produtor nacional de moluscos, com 39 áreas de produção em 11 municípios do Litoral. O setor gera mais de 1.900 empregos diretos e a produção gira em torno de 13 mil toneladas de mexilhões, ostras e vieiras.

Monitoramento constante
Santa Catarina é o único estado do país que faz o monitoramento constante das áreas de cultivo. O Programa Estadual de Controle Higiênico Sanitário de Moluscos é um dos procedimentos de gestão e controle sanitário da cadeia produtiva, permitindo maior segurança para os produtores e consumidores.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar