Agricultura, Comunidade, Economia e Negócios, Florianópolis, Geral - 04 Mai 2018 18:53

Custo de vida em Floripa tem queda de 0,17% em abril, diz estudo da Udesc

Alguns alimentos in natura, no entanto, tiveram altas expressivas
Por: Direto da Redação TSF
 

A variação do Índice de Custo de Vida (ICV) de Florianópolis foi negativa em abril (-0,17%). O índice não registrava uma queda clara da média dos preços ao consumidor desde setembro do ano passado (-0,34%). Em dezembro, o ICV ficou praticamente estável (-0,01%).

Desde o início de 2018, no entanto, os preços dos produtos e serviços básicos ainda acumulam uma alta de 1,10%.  Já com base na variação dos últimos 12 meses, a inflação anual na capital catarinense está em 2,13% – mas também vem caindo. Em março, essa inflação em 12 meses era de 2,89%.

Os números foram divulgados nesta sexta-feira (4), pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). O ICV é calculado mensalmente pelo Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da universidade, levando em consideração a variação nos preços de 319 itens, entre produtos e serviços, consumidos por famílias de Florianópolis com renda entre 1 e 20 salários mínimos.

O índice de -0,17% em abril é mais de meio ponto percentual menor que o de março, quando houve alta de 0,35%. Na comparação com o mesmo mês no ano passado, a variação foi ainda mais expressiva para baixo (queda de 0,74 ponto) – em abril de 2017, o ICV havia registrado alta de 0,57%.

Preços
Na composição do ICV em grupos de itens pesquisados, apenas os serviços públicos e de utilidade pública tiveram alta em abril, ainda assim pequena (0,11%). Houve queda dos preços de alimentação (-0,20%) e de produtos não alimentares (-0,28%). Os preços de outros serviços ficaram estáveis.

Na alimentação, a queda foi maior nos preços dos produtos de elaboração primária (-1,37%), com destaque para a carne de frango (-6,14%), carne moída de segunda (-5,47%), arroz parbolizado (-5,47%) e churrasco (-4,43%). Essas quedas mais que compensaram as altas expressivas do leite (4,96%) e da costela suína (4,93%).

As maiores altas de preços foram registradas entre os alimentos in natura. Na média, esses alimentos subiram 1,48%, mas houve aumentos bem maiores em casos específicos, como cebola de cabeça (31,16%), pimentão (21,08%), mamão (12,16%), morango (10,62%) e beterraba (10,62%).

Sobre o ICV/Udesc Esag
O Índice de Custo de Vida de Florianópolis é calculado desde 1968 pela Udesc Esag, em trabalho coordenado pelo administrador Hercílio Fernandes Neto. A relevância de cada produto para o cálculo do índice foi definida por meio de uma pesquisa de orçamento familiar, também realizada pela Udesc Esag. Os dados para o mês foram coletados entre os dias 1º e 30 de abril de 2018.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar