Florianópolis, Geral, Grande Floripa, Social, Turismo - 14 Ago 2013 05:59

Escoteiros britânicos enfrentam desafios em Florianópolis por prêmio da rainha

O grupo de cinco jovens precisam completar algumas tarefas com R$ 140 por dia para receber condecoração das mãos de Elizabeth II
Por: Karina Schaefer
 
Escoteiros britânicos enfrentam desafios em Florianópolis por prêmio da rainha Entre as tarefas, jovens devem aprender windsurfing, cantar o hino nacional brasileiro, colaborar com alguma comunidade ou escola municipal, enviar postais para casa (Foto: Marcelo Lisbôa / Divulgação)

Cinco escoteiros britânicos estão em Florianópolis até a próxima semana para realizar um grande jogo que envolve uma condecoração a ser entregue das mãos de Elizabeth II, a monarca do Reino Unido. Na Capital de SC, eles completam alguns desafios. Ao final da jornada, eles recebem a medalha Explorer Expedition Belt e muitas histórias para levar para casa.

Os cinco jovens, que têm entre 21 a 25 anos, estão na cidade há cinco dias. Becky Tompkinson, uma das escoteiras britânicas, comentou que, por conta do baixo valor recebido antes da viagem para se manterem, precisam andar muito, pegam poucos ônibus e ficam na casa de quem está disposto em hospedá-los.

Juntos, têm que andar, aprender windsurfing, saber cantar o hino nacional brasileiro, colaborar com alguma comunidade ou escola municipal, enviar postais para casa e ensinar para alguém uma música tradicional de seu país de origem. Isso tudo com R$ 140 por dia.

- Tentamos conhecer o máximo de pessoas possíveis e fazer amizades. Todos são extremamente hospitaleiros. Mas como temos que sempre ficar em diferentes lugares, algumas vezes não sabemos onde vamos dormir.

Sobre os desafios recebidos como tarefas e as complicações em virtude de hábitos culturais e as diferenças sociais, a jovem também conta que a principal dificuldade durante a permanência no Brasil é o idioma.

- Os desafios se baseiam também nisso. Precisamos comprar e mandar postais para o nosso grupo de escoteiros de lá, então temos que comprar selos, cartões, ir nos correios,... E tudo isso com o pouco de português que aprendemos e a paciência das pessoas que nos atendem. Também temos que aprender o hino de vocês, mas ele é muito longo! Aprendemos apenas o primeiro verso -, confessou Becky.

Nesta jornada, Becky tem a companhia dos amigos Emily Pip Armitage, Michael Baker e Hillary Bell.

Até o momento, elas contam que o grupo já visitou os Ingleses e Ponta das Canas, na Ilha de Santa Catarina, e passou por Laguna na tarde desta terça.

Eles ficam no Brasil até dia 23 de agosto, quando voltam para casa, na esperança de receber uma medalha das mãos da Rainha e deixar muitas amizades aqui.

Grupo se desloca e alimenta com pouco dinheiro e passa as noites em hospedagens oferecidas por desconhecidos (Foto: Marcelo Lisbôa / Divulgação)Grupo se desloca e alimenta com pouco dinheiro e passa as noites em hospedagens oferecidas por desconhecidos (Foto: Marcelo Lisbôa / Divulgação)


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar