Cultura, Educação, Eventos, Florianópolis, Política - 15 Nov 2019 20:38

Escritor português radicado em Floripa fala sobre “holocausto do século 21”

Afonso Rocha ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na quinta (14)
Por: Direto da Redação TSF
 
Escritor português radicado em Floripa fala sobre “holocausto do século 21” Escritor Afonso Rocha (FFoto: Solon Soares/Agência AL)

O escritor português radicado em Florianópolis Afonso Rocha utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa, na quinta-feira (14), para falar sobre o tema do livro de sua autoria, “Pecador não confesso”, que denuncia o que ele chama de “o holocausto do século 21”. Abuso e violência sexual, preconceito com Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBTs), intolerância com imigrantes, racismo e tráfico de pessoas são alguns dos crimes que caracterizam o novo holocausto denunciado pelo escritor.

Rocha, que se apresenta como cidadão livre, sem preconceitos, sem vínculos políticos e ideológicos, disse que como escritor “se acha no dever de se levantar contra as injustiças” e lamentou o aumento da ignorância, da indiferença e da passividade dos cidadãos.

O escritor revelou números que mostram o flagelo da violência sexual no país, mas afirmou que esse não é um problema exclusivamente brasileiro. Segundo ele, a cada 7 minutos há uma denúncia de assédio ou violência sexual no Brasil. Em 2018, houve mais de 1,2 milhão de processos de mulheres vítimas de violência; 30% das mulheres brasileiras tiveram uma primeira experiência sexual forçada por alguém que vivia próximo delas; houve 190 mil notificações de estupro em 2018, mas somente 35% dos abusos são notificados.

- Este flagelo não é só brasileiro, nem português, nem argentino, nem africano, nem dos países mais pobres e menos desenvolvidos. Predadores sexuais existem e atacam por todo lado. Na lista dos dez países onde a violência mais avança encontram-se África do Sul, Suécia, Estados Unidos, Reino Unido, Índia, Nova Zelândia, Canadá, Austrália, Zimbábue e Finlândia -, disse Afonso Rocha.

O escritor acrescentou que Santa Catarina é o segundo estado do país em casos de estupro – em 2018 foram notificados 2.219 casos. E o feminicídio aumenta exponencialmente – a cada quatro horas uma mulher é assassinada no estado.

- Só nos dez primeiros meses deste ano, foram assassinadas 50 mulheres em Santa Catarina. Diariamente são presos 14 homens por violência doméstica no estado -, disse.

Esse quadro, que o escritor considera aterrador, em nível nacional e internacional, é abordado no livro “Pecador não confesso”.

- É um alerta para o que todos podemos fazer em prol da sociedade. Que o nosso amanhã comece aqui e agora -, finalizou.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar