Florianópolis, Geral, Meio Ambiente - 12 Jan 2021 15:11

Espécie invasora, saguis seguem se proliferando pelas matas em Floripa

Animais são apreendidos pela Guarda Municipal, mas Lei proíbe a soltura em Santa Catarina
Por: Direto da Redação TSF
 
Espécie invasora, saguis seguem se proliferando pelas matas em Floripa Agente da GMF resgatou o animal machucado (Foto: GMF / divulgaçãoi)

Por Róbinson Gambôa

Em Florianópolis, a Guarda Municipal mais uma vez foi acionada para auxiliar no atendimento a um sagui ferido. Desta vez, o animal foi encontrado no Parque do Morro da Cruz, de onde foi levado ao pelotão da Polícia Ambiental do Rio Vermelho. Em abril do ano passado, outro sagui precisou ser socorrido após sofrer uma descarga elétrica e cair de um poste, na Caieira do Saco dos Limões. Na oportunidade, ele foi levado ao DIBEA, da Prefeitura, no bairro itacorubi.

Pequeno macaco que encanta adultos e crianças, o Sagui tem sido tema controverso em Santa Catarina, onde é considerado uma espécie invasora que provoca desequilíbrio ambiental, trazida pelo homem de um ecossistema diferente do ambiente catarinense. Segundo alguns pesquisadores, os primeiros saguis foram trazidos do Nordeste brasileiro a partir dos anos 70, por caminhoneiros que buscavam vender os animais como bichos de estimação. No entnto, como são agressivos, acabavam sendo descartados pelo mato O problema disso é que na região não muitos dos predadores que mantém o equilíbrio populacional dos saguis.

Sagui resgatado nesta semana no Parque do Morro da Cruz (Foto: divulgação)Sagui resgatado nesta semana no Parque do Morro da Cruz (Foto: divulgação)

Sem gaviões por perto, os saguis se multiplicaram muito nessas cinco décadas em Florianópolis. No ano passado, um projeto de Lei que pretendia autorizar a criação de saguis em Santa Catarina por pouco não entrou em pauta para ser votado. A ideia acatava uma solicitação feita por um empresário de Xanxerê, mas acabou sendo retirada da pauta.

No Campus da UFSC, no bairro Trindade, a incidência dos saguis mas inúmeras regiões de vegetação preservada tem sido uma preocupação constante. Desde 2017, uma campanha interna busca alertar os frequentadores a não dar alimentos aos animais.

Segundo Roberto Vietto, da ONG World Animal Protection, o sagui é um animal silvestre e não é adaptado ao ambiente doméstico, diferentemente do gato e do cachorro, que evoluíram por séculos até estarem aptos a viver com os humanos.

- Ou seja, por mais dedicado que o tutor seja, o macaco nunca terá todas as suas necessidades plenamente atendidas no quintal de uma casa -, salientou Roberto.

Os especialistas apontam que os saguis têm uma alta capacidade cognitiva e precisam de outros da sua espécie por perto para aprender com eles. Por isso eles vivem em bando e se beneficiam do contato com seus pares – o que, obviamente, não acontece em ambiente doméstico, onde ele têm companhia apenas de humanos por algumas horas.

Além disso, quando o macaco atinge a maturidade sexual, por volta dos dois anos de idade, costuma ficar mais agressivo, principalmente se for macho. Entre as doenças que o sagui pode ter e transmitir estão a raiva, verminoses, enterites, ectoparasitos e pneumonia, por exemplo.

Desde a publicação de um Decreto Federal em 1998, o Brasil acata as determinações da Convenção Internacional sobre Diversidade Biológica, mantendo desde então um compromisso de “impedir que se introduza, controlar ou erradicar espécies exóticas que ameacem os ecossistemas, hábitats ou espécies”.

Em abril, um sgui foi resgatado na Caieira do Saco dos Limões. (Foto: Róbinson gambôa / Tudo Sobre Floripa)Em abril, um sgui foi resgatado na Caieira do Saco dos Limões. (Foto: Róbinson gambôa / Tudo Sobre Floripa)

Em maio de 2020, o IMA (Instituto do meio Ambiente), órgão estadual que substituiu a antiga FATMA, publicou uma portaria estabelecendo procedimentos para a posse, o manejo, o domínio, o transporte e a doação de saguis, animal já enquadrado na Lista Oficial de Espécies Exóticas Invasoras no Estado de Santa Catarina. Segundo o texto, fica proibida a criação e a comercialização de saguis, e empreendimentos comerciais como o do criador de Xanxerê deveriam ser desativados em até um ano, prazo que termina no próximo mês de maio.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar