Cultura, Eventos, Florianópolis, Geral, Trabalho, Turismo - 27 Dez 2018 18:58

Feira Culinária do Imigrante ganha espaço no Centro uma vez por mês

Cheiro dos temperos anunciou aos pedestres da Francisco Tolentino nesta quinta (27) o início da feira
Por: Direto da Redação TSF
 
Feira Culinária do Imigrante ganha espaço no Centro uma vez por mês (Foto: divulgação)

Quem passou nesta quinta (27) no Centro de Florianópolis pela rua Francisco Tolentino, nas imediações do Camelódromo, se deparou com um cenário incomum, fora do habitual. O cheiro dos temperos anunciavam que, no local, tinha algo diferente sendo preparado. É a Feira Culinária do Imigrante que passa a ser realizada toda última quinta-feira do mês, das 9h até às 17h. Ao todo, 10 empreendimentos de imigrantes de países, como: Venezuela, Argentina, Síria, Marrocos e Peru, comercializam produtos e pratos típicos dos seus países no local.

Filha de imigrantes de Portugal e casada com um marroquino, Angêla Prata, 48 anos, está acostumada com o cenário multicultural. Em sua tenda, a “La maison du Maroc”, ela e seu marido, Abdelaziz Bahsain comercializam diversos pratos típicos do Marrocos, como: couscous; pita, um tipo de pão de espessura fina, preparado em panela de barro ou de ferro; e também, crepe e chá. Angêla comemora a iniciativa da Prefeitura e Igeof.

- Eu achei essa oportunidade maravilhosa. Nos sentimos acolhidos, pois tínhamos muitas dificuldades em ter uma tenda em outras feiras aqui na cidade -, afirmou.

O jovem sírio Ahmad Aresha, 21 anos, deixou seu país natal com seu irmão e um primo em busca de uma vida melhor. Há dois anos e meio na Capital, ele sonha em poder terminar seus estudos e trabalhar na área veterinária. Em sua tenda, ele vende doces árabes e crepe.

- Foi muito bom ter essa oportunidade. Veio em boa hora e ajuda muito a gente que não tem condições de ter um estabelecimento próprio -, conta Ahmad.

(Foto: divulgação)(Foto: divulgação)

A iniciativa é fruto de um termo de cooperação firmado entre a Prefeitura, Instituto de Geração de Oportunidades (Igeof) e Centro de Referência de Atendimento ao Imigrante (CRAI) para promoção da inclusão social de imigrantes por meio de economia solidária.

- A iniciativa é uma forma de proporcionar inclusão social, geração de renda e troca cultural entre os imigrantes e a população de Florianópolis -, declarou o Prefeito, Gean Loureiro.

Economia solidária é uma nova prática da Economia onde o objetivo da atividade econômica vai além da geração de emprego e renda, contemplando também aspectos sociais como: desenvolvimento sustentável, inclusão, fortalecimento da cultura, cooperação e autogestão. Dados da Secretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho apontam que existem cerca de 20 mil empreendimentos de economia solidária no Brasil.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar