Florianópolis, Geral, Política - 18 Jan 2021 17:06

Floripa: Câmara Municipal vota pacote de projetos polêmico da Prefeitura

Primeira sessão do Ano foi convocada de forma extraordinária na sexta (15)
Por: Direto da Redação TSF
 
Floripa: Câmara Municipal vota pacote de projetos polêmico da Prefeitura Servidores da Comcap em manifestação em frente à Prefeitura (Foto: Videomonitoramento / divulgação)

A Câmara Municipal de Vereadores da Capital sediou nesta segunda (18) uma sessão Extraordinária, convocada às pressas pelo prefeito Gean Loureiro na sexta (15). O objetivo seria o de aprovar às pressas o novo pacote de projetos apresentado pela Prefeitura, o que provocou a primeira polêmica no ambiente político municipal em Florianópolis. Um dos projetos do chamado Pacotão do Gean permite o início do processo de privatização da Comcap, Companhia encarregada da coleta de lixo e limpeza urbana na Capital.

Quatro vereadores do bloco de oposição, que mais uma vez será minoria na Câmara Municipal, assinaram um manifesto, apontando irregularidades nos textos dos projetos e sugerindo que eles sejam devolvidos ao poder Executivo. O Instituto Comunitário ICOM também se manifestou em Nota Pública contrário à revisão de pontos da Lei Complementar Municipal n.482 de janeiro de 2014, que institui o Plano Diretor.

Segundo o Prefeito Gean se manifestou nas suas redes sociais, o Pacote de Projetos busca a retomada econômica em Florianópolis, além de cortar, segundo ele, alguns privilégios.

Para os quatro co-vereadores que atuam no mandato coletivo Bem Viver, o projeto altera questões estruturais da cidade e dos servidores públicos municipais e conselhos.

- Essas propostas devem ser analisadas fora do regime de urgência, passando por comissões, e serem amplamente debatidas na Câmara -, salientou a vereadora Cinthia Mendonça.

Após tomarem conhecimento do conteúdo do projeto ainda na sexta (15), os servidores da Comcap paralisaram as atividades por 24 horas, nesta segunda (18), em que não houve coleta de lixo em toda a cidade. Um grupo de manifestantes, todos com o uniforme da Companhia, promoveu uma caminhada após um protesto em frente à sede da Prefeitura. De lá, o grupo rumou até a Ponte Colombo Salles. No começo da tarde, a manifestação foi em frente ao prédio da Câmara Municipal, na rua Anita Garibaldi. A Polícia Militar foi acionada para proteger a entrada principal do prédio, e até mesmo uma vereadora teve sua entrada barrada. Carla Ayres (PT), que assumiu seu primeiro mandato no começo do mês, precisou da intervenção da Presidência da casa para poder acessar sua sala de trabalho.

Em Plenário, o vereador e presidente da Câmara Roberto Katumi comunicou que o vereador Renato Geske teria sido agredido por manifestantes em frente ao prédio.

Vereadora Carla Ayres, aguardando para entrar no prédio da Câmara (Fotoi: divulgação)Vereadora Carla Ayres, aguardando para entrar no prédio da Câmara (Fotoi: divulgação)


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar