Cultura, Eventos, Florianópolis, Trabalho, Turismo - 08 Mai 2018 12:54

Floripa sedia até sábado a 7ª edição do maior festival de Patchwork de SC

Evento tem como objetivo promover o intercâmbio de técnicas da arte em tecido. A programação inclui ainda cursos e oficinas
Por: Direto da Redação TSF
 
Floripa sedia até sábado a 7ª edição do maior festival de Patchwork de SC Exposições fazem parte da programação (Foto: Divulgação)

A capital catarinense sediará a partir desta quarta (9) até sábado (12) o 7º Festival de Patchwork e Afins – o Floripa Quilt – considerado o maior festival de Patchwork do estado e um dos mais aguardados do Brasil. O evento ocorre na Associação Catarinense de Medicina ACM, localizada na Rodovia SC-401, no bairro Saco Grande, em Florianópolis.

Segundo os organizadores, a programação do festival tem o objetivo de promover o intercâmbio de técnicas da arte em tecido, com a participação de convidados de renome nacional e internacional, valorizando o trabalho manual e inovando com a inserção de valores culturais regionais no universo do patchwork.

O evento mobiliza todo o segmento artístico e comercial que envolve o Patchwork, e assim como nas edições anteriores, o público em geral poderá visitar os estandes, adquirir produtos, realizar cursos, além de acompanhar diversas exposições. O evento acontece das 13h às 19h, de quarta à sexta-feira e das 10h às 17h no sábado. A entrada custa R$ 14,00 por dia (inteira) e R$ 7,00 (meia).

Patchwork, que é o trabalho com retalhos de tecido, nos quais podem ser aplicadas diferentes técnicas, como a do quilt (que dá nome ao evento), que envolve o uso de fibra e tecido na confecção de acolchoados.

Além das inúmeras possibilidades de geração de emprego e renda com a venda de produtos artesanais, matéria-prima e cursos, o patchwork também é uma excelente terapia ocupacional, indicada por muitos médicos para o tratamento de patologias como o estresse e a depressão.

O evento tem o objetivo de valorizar a arte, a cultura regional e principalmente o vasto universo do patchwork. É reconhecido como um evento que prima pelas aulas, oficinas e cursos, utilizando-se de professores renomados, além de dar oportunidade aos professores novatos e os da região.

Os valores e pré-requisitos de inscrição para os cursos e oficinas estão disponíveis no site do evento (www.floripaquilt.com.br). Será possível também saber mais informações sobre o Concurso de Quilt.

Serviço
O quê: Floripa Quilt - Festival de Patchwork
Quando: de quarta (9( a sábado (12), das 13h às 19h e 12/5 das 10h às 17h
Onde: ACM - Associação Catarinense de Medicina - Rod. José Carlos Daux, 3854 - Saco Grande, Florianópolis
Quanto: R$ 14 inteira e R$7 a meia entrada
Programação: www.floripaquilt.com.br

História do evento
Foi em um pequeno ateliê de Patchwork que o sonho de Janaína Machado Cordeiro começou a ganhar forma. Entre uma feira e outra que visitava, a artesã viu a possibilidade de trazer para Florianópolis um festival que unisse cursos, expositores e admiradores dessa arte, além de valorizar a cultura de Santa Catarina. Começou a conquistar parcerias com pessoas que também acreditavam nesse sonho e o evento não parou mais de crescer. Hoje, o Floripa Quilt é sinônimo de belas exposições, cursos criativos, concursos e reúne cada vez mais participantes graças à energia boa que é compartilhada durante o evento, todos os anos. Um sonho que virou realidade e foi costurado a muitas mãos.

O Floripa Quilt teve sua primeira edição em 2012. Aconteceu no Centro de Eventos SESC/Cacupé com apenas 20 expositores (lojistas/empresas) e 10 artesões. Eram 240m² de estandes, 10 cursos e oficinas. Hoje a feira tem 47 expositores em 510m² de estandes, 42 cursos e oficinas, totalizando 504 vagas, sendo ministrados por professores renomados nacional e internacionalmente, com dois professores do exterior (Japão e Argentina). A taxa de ocupação dos cursos e oficinas é de 60%.

Sobre Patchwork

A tradução literal de patchwork é “trabalho com retalho”. É uma técnica que une tecidos com uma infinidade de formatos variados. O patchwork é a parte superior ou topo do trabalho, já o trabalho completo é o acolchoado, formado pelo topo mais a manta acrílica e o tecido fundo, tudo preso por uma técnica conhecida como QUILT ou acolchoamento.

Existem registros históricos de que o homem faz acolchoados desde que aprendeu a tecer. No século IX, os faraós já usavam roupas com técnicas similares. Existe uma versão de que esta técnica foi levada por comerciantes para o antigo Oriente, depois viajou para a atual Alemanha, até que chegou à Inglaterra no século XI, sendo utilizada para fazer tapetes e túnicas clericais. Mas os primeiros tapetes e acolchoados surgiram somente no século XVI, época de Henrique VIII, e costumavam ser presentes de casamento muito admirados. Os cavaleiros da Idade Média também usavam acolchoados como proteção, embaixo da armadura de metal.

Em meados do século XVII, a arte de quiltar chegou às Américas, mais especificamente aos Estados e Canadá. Trazida pelos colonizadores, era comum ver colchas feitas de linho ou lã, em panos inteiros ou a partir de medalhões centrais e bordas, que permitiam o aproveitamento total de retalhos, já que tecidos eram considerados preciosidade, assim como linhas e agulhas (que eram passadas de mãe para filha).

Em 1851, a invenção da máquina de costura caseira foi patenteada, o que trouxe muitas novidades. A agilidade na execução aumentou e começaram a surgir revistas especializadas em moldes e padrões.

O estouro da Bolsa de Valores dos Estados Unidos causou a Grande Depressão, que durou de 1929 a 1939, fazendo com que as quilteiras precisassem aproveitar todo e qualquer tecido disponível, usando formatos como o Apple Core (miolo de maçã) e os triângulos, que permitiam aproveitamento total dos tecidos. Nessa época surgiram os equipamentos para aplicação e a bonequinha Sunbonnet Sue (Sue com chapéu de sol).

PROGRAMAÇÂO Floripa Quilt
Quarta (9):
Cursos e oficinas – das 08h30min às 21h
TARDE: Aberto ao público das 13h às 19h
13 horas – Abertura do Festival
ABERTURA DAS MOSTRAS – São 6 Mostras: Concurso, Postais “Santa Catarina e suas belezas que encantam”, Artistas homenageadas (Joyce Loss, Dóris Sueli Teixeira, Tiemi Maeda, Glaucia Lanzellotti, e Maria Ohara), Bordados, Curso Quilter de Sucesso da mestra Márcia Baraldi;
Exposição de produtos prontos e matérias para confecção das artes em tecidos;
15h às 19h – Rendeiras da Ilha, cantoria e contando histórias;
18h – Premiação do Concurso - Local da exposição dos Quilts Premiados

Quinta (11):
Cursos e oficinas – das 8h30min às 21h;
TARDE: Aberto ao público das 13h às 19 hs
15h às 19h – Rendeiras da Ilha, cantoria e contando histórias;
11/05 Sexta-Feira:
ENTRADA:  MEIA R$7,00 + 1kg de alimento (será doado para o Asilo de Ratones).
Cursos e oficinas – das 08h30min às 21h;
TARDE: Aberto ao público das 13h às 19 h
15h às 19h – Rendeiras da Ilha, cantoria e contando histórias;

Sábado (12):
MANHÃ: Cursos das 9h às 16h
Aberto ao público das 10h às 17 horas
14h às 17h – Rendeiras da Ilha, cantoria e contando histórias;
17h – Encerramento


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar