Florianópolis, Geral, Polícia - 20 Jan 2019 20:01

Justiça volta atrás e manda prender de novo homem flagrado com fuzil

Caso ganhou repercussão após manifestações de repúdio à juíza que mandou soltar o preso
Por: Direto da Redação TSF
 
Justiça volta atrás e manda prender de novo homem flagrado com fuzil (Foto: divulgação)

A Justiça voltou atrás e determinou ainda no sábado (19) a prisão de Elian Lucas Ferreira Dias, de 21 anos, natural de Florianópolis. Ele foi recapturado pela Polícia Militar na manhã deste domingo (20), no bairro Monte Verde, na Capital, e lavado ao Presídio da Capital. Elian havia sido preso em flagrante na sexta (18), numa moradia situada na rua Mané Vicente, onde os PMs encontraram um fuzil. No entanto, acabou sendo liberado pela juíza Ana Luisa Schmidt Ramos, após uma audiência de Custódia, no Forum da Capital.

A decisão de prender novamente Eliel partiu da desembargadora Bettina Maria, do Tribunal de Justiça do Estado, que tornou sem efeito o ato da juíza.

A ordem de soltura proferida pela juíza ganhou repercussões na cúpula da Segurança Pública catarinense. O próprio comandante da Polícia Militar, Coronel Araújo Gomes, que desde o começo do ano faz parte do colegiado que comanda a SSP em Santa Catarina, chegou a publicar nas suas redes sociais manifestações de protesto, como foi publicado no Portal Tudo Sobre Floripa.

Além de Araújo Gomes, o Conselho de Desenvolvimento do Norte da Ilha (Codeni), que reúne 94 entidades assiciadas, divulgou uma carta de repúdio questionando a decisão da juíza que, além de mandar soltar o preso, ainda exigiu explicações da PM sobre o fato de Elian ter sido apresentado à Justiça sem camisa.

- Soltar imediatamente um indivíduo preso em flagrante, portador de um FUZIL e questionar conduta policial é uma verdadeira vergonha para a nação, demonstra a falta de conexão da justiça com a realidade e coloca todos os cidadãos em perigo -, dizia a nota do Codeni, assinada pelo presidente Luiz César Costa.

Segundo informações colhidas pelo serviço de Inteligência da PM, o fuzil apreendido na residência onde Elian foi preso, considerado de uso restrito do Exército, pertencia ao PGC, grupo do crime organizado que domina o tráfico em algumas das principais comunidades da Capital. Ainda segundo a Polícia, o fuzil iria ser usado em ataques contra a PM, em retaliação à morte de um traficante ocorrida perto dali, na rua Pedra de Listra, no Morro do Caju, bairro Saco Grande.

A residência onde o fuzil foi encontrado fica no número 1098 da Mané Vicente, uma via tradicional que segue como ligação alternativa entre a rodovia Virgílio Várzea e a SC-401. A casa, segundo a Polícia, vinha sendo usada como paiol para armazenar armamentos do PGC.

O fuzil seria usado pelo crime organizado para vingar a morte do traficante João Augusto de Anhaia, de 21 anos, conhecido como Seco, morto em confronto com a Polícia na madrugada de 8 de janeiro. João estava foragido do sistema penal catarinense desde agosto de 2018, e era apontado como um dos líderes do PGC catarinense. Depois da sua morte, traficantes queimaram quatro automóveis que estavam num estacionamento no mesmo bairro Monte Verde.

Neste domingo (20), o comandante da PM Araújo Gomes voltou a se manifestar nas redes sociais sobre o assunto. Mais comedido, Gomes não emitiu opinião sobre o caso, informando que o serviço de inteligência da PM monitorando Eliel desde sua soltura, o que permitiu que sua recaptura fosse feita com segurança.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar