Biguaçu, Economia e Negócios, Educação, Geral, Grande Floripa - 29 Jul 2020 18:04

Liminar determina descontos nas mensalidades de escolas de Biguaçu

As escolas também devem adotar as outras medidas devido ao desequilíbrio contratual decorrente da pandemia
Por: Direto da Redação TSF
 
Liminar determina descontos nas mensalidades de escolas de Biguaçu Colégio Conhecimento, de Biguaçu, uma das instituições citadas pela medida (Foto: Facebook / divulgação)

As cinco creches e pré-escolas e duas escolas dos ensinos fundamental e médio não haviam atendido ou comprovado que haviam atendido às recomendações da 2ª Promotoria de Justiça para dar descontos e abrir canais de negociação com os pais devido à suspensão das aulas e atividades presenciais.

A 2ª Vara Cível da Justiça da Comarca de Biguaçu atendeu ao pedido do Ministério Público de Santa Catarina e concedeu liminar determinando a sete estabelecimentos de ensino, dos níveis infantil ao médio, que deem descontos proporcionais ao número de alunos matriculados e ao porte de cada escola nas mensalidades devido à suspensão das aulas presenciais em decorrência da covid-19. As escolas também devem adotar as outras medidas devido ao desequilíbrio contratual decorrente da pandemia.

O abatimento deve ser retroativo a 19 de março, data em que começaram a valer as medidas decretadas pelo Governo do Estado que suspenderam as aulas como uma das formas de reduzir o contágio pelo novo coronavírus.

Colégio Super Incentivo  (Foto: Facebook / divulgação)Colégio Super Incentivo (Foto: Facebook / divulgação)

As cinco creches e pré-escolas e duas escolas dos ensinos fundamental e médio não haviam atendido ou comprovado que haviam atendido às recomendações da 2ª Promotoria de Justiça para dar descontos e abrir canais de negociação dom os pais devido à suspensão das aulas e atividades presenciais.

Diante disso, o Promotor de Justiça da 2ª PJ, Marco Antonio Schütz de Medeiros, que atua na área do consumidor, ajuizou as ações civis públicas com o pedido de liminar para garantir na Justiça o direito dos pais e responsáveis pelos alunos aos ajustes necessários para o reequilíbrio dos contratos educacionais devido à substituição das aulas e atividades presenciais por aulas remotas.

Dos oito estabelecimentos particulares de ensino de Biguaçu acompanhados pelo Inquérito, apenas um comprovou ter atendido plenamente à recomendação do Ministério Público para negociar com os pais descontos e outras formas de compensação pela suspensão das aulas presenciais:  o Colégio Educar - Educação Infantil e Ensino Fundamental e Médio.

As instituições que devem seguir as determinações são CEI Anjinho da Guarda, CEI Oficina da Criança, CEI Planeta Azul, Colégio Conhecimento, Colégio Super Incentivo Júnior, Colégio Conhecimento e Colégio Super Incentivo. No caso de descumprimento da liminar, o juiz determinou uma multa mensal de R$ 1 mil por aluno.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar