Florianópolis, Polícia - 07 Jan 2020 03:03

Maioria das execuções na Favela do Siri ocorrem em noites de domingo

Mais uma vítima foi morta por traficantes neste fim de semana
Por: Direto da Redação TSF
 
Maioria das execuções na Favela do Siri ocorrem em noites de domingo (Foto: Facebook / divulgação)

A morte de um turista de 20 anos na comunidade do Siri, no bairro Ingleses, no Norte da Ilha, foi o quinto homicídio ocorrido somente nos últimos meses junto ás dunas, na área comandada pelo tráfico há mais de 20 anos em Florianópolis. Desta vez, o corpo foi encontrado na manhã desta segunda-feira (6). A vítima, morador de São Leopoldo (RS), foi identificada nesta terça (7) como sendo Kennedy Maldaner Santos da Silva, de 20 anos. Ele teria ido ao local na noite de domingo (5), acompanhado de outros três colegas para comprar maconha.

Na foto de capa do Facebook de Kennedy, a imagem mostra um cigarro de maconha numa praia movimentada.

O crime é investigado pela Delegacia de Homicídios de Florianópolis, comandada pelo delegado Enio Matos. Segundo ele, os quatro foram confundidos com um grupo de traficantes rivais e foram atacados. Dos quatro homens, um foi morto, outro ferido a tiros e um terceiro ferido com uma facada na mão. O quarto homem conseguiu fugir. Ainda de acordo com o delegado Ênio, o grupo após ser rendido foi levado para as dunas e agredido. O delegado também confirmou que já identificou sete traficantes do Siri que atacaram o grupo, mas ninguém ainda foi preso. As vítimas haviam locado um imóvel na praia do Santinho.

(Foto: divulgação)(Foto: divulgação)


Método ou coincidência?

Em 2017, dois homens foram mortos a tiros após serem levados para as dunas por traficantes. O crime aconteceu num domingo (16). Uma das vítimas foi Patrick Pereira, de 19 anos. Segundo a PM, a casa onde eles estavam, situada na rua Três Marias, foi invadida por quatro homens armados e de colete à prova de balas, que fizeram os disparos.

Em maio de 2018, no domingo (13), três pessoas foram mortas nas mesmas circunstâncias, por volta das 17h. Os corpos de Luiz Henrique Gavião, de 23 anos, natural de Santa Maria (RS), e Vanderlei Dzioch, de 47 anos, paranaense de Guarapuava, estavam dentro de uma casa, na rua floresta, próximo a um mercado, logo após a servidão imigrantes, já próximo às dunas. O terceiro corpo foi encontrado nas dunas.

Em julho de 2019, também numa noite de domingo, um casal foi morto a tiros na mesma comunidade, com os corpos sendo abandonados nas dunas. Eles foram identificados como Murieli dos Santos Baptista, de Alvorada (RS) e Thiago Ramos Velozo, de Porto Alegre, ambos de 20 anos.

Na maioria dos casos, nem mesmo a identidade das vítimas é revelada pela Polícia, que mantem as investigações sob sigilo, por ordem da Delegacia Geral. Dentre tantas vítimas executadas pelos traficantes da favela do Siri, uma das poucas a terem o nome divulgado foi Luciano Ricardo Teixeira Junior, de 19 anos, natural de Florianópolis, morto também num domingo, 30 de setembro de 2018.

Uma semana depois, em mais um domingo, 7 de outubro de 2018, foi encontrado na mesma área de dunas o corpo de Danilo Henrique Vicente, de 26 anos, natural do interior de São Paulo.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar