Florianópolis, Polícia - 06 Dez 2018 12:09

Justiça concede saída temporária para Neném da Costeira nesta quinta (6)

Maior traficante de Florianópolis está preso desde 2013
Por: Direto da Redação TSF
 

Uma ordem Judicial assinada pela Juiza Débora Rieger Zanini, da Comarca de Criciúma, concedeu nesta qunta (6) o direito de saída temporária da prisão ao detento Sérgio de Souza, o Nenémê da Costeira, considerado o principal traficante de Florianópolis dos últimos 30 anos. De acordo com a determinação, Neném vai receber uma tornozeleira eletrônica e deve permanecer sendo monitorado durante sua liberdade.

Nenêm chegou a cumprir pena no presídio Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, mas retornou para Santa Catarina em outubro do ano passado, em função do término do prazo de permanência previsto na decisão que autorizou o ingresso do detento no Sistema Penitenciário Federal. A soma de todas as penas a que já foi condenado superam os 40 anos de cadeia, por crimes de tráfico e até homicídio.

Segundo informações divulgadas na época de sua transferência, Nenêm da Costeira estaria enfrentando um problema de saúde e perdendo a visão. Por conta da cegueira, seus advogados tentam uma redução da pena.

Nenêm estava há cinco anos em Mossoró, onde seu prazo de permanência havia vencido em julho de 2016. O DEAP catarinense chegou a solicitar uma renovação do convênio, mas não obteve sucesso. O sistema prisional catarinense usou como argumento o fato de Nenêm da Costeira ser considerado um indivíduo de alta periculosidade, membro da facção criminosa Primeiro Grupo Catarinense (PGC). No auge do seu poder, chegou a abastecer toda a Grande Florianópolis, chegando a atuar como um braço das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Em 2002, Nenê foi resgatado da carceragem da Deic por um comparsa que fingiu ser um entregador de pizzas. Foi recapturado somente em 2008, no Paraguai.

Em 2015, um dos gerentes do tráfico que seguiam trabalhando sob o comando de Nenêm, Tiago Cordeiro, o Calcinha, foi morto a tiros num posto de combustíveis na Costeira. Em 2016, um dos irmãos de Nenê, Valdecir de Souza, o Nino, de 44 anos, foi assassinado no mesmo local, por traficantes rivais.

Outro irmão de Nenêm da Costeira, Danilo de Souza, foi preso em 2017 suspeito de ter sido o mandante da morte de Vilmar de Souza Júnior, o Juninho, de 29 anos, morto a tiros na frente do Mercado Público, no meio da tarde, diante de centenas de pessoas, no centro de Florianópolis.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar