Agricultura, Biguaçu, Florianópolis, Geral, Trabalho - 26 Abr 2019 15:34

Pescadores reclamam de burocracia a uma semana da safra da Tainha

Reunião ocorreu nesta semana na Câmara de Vereadores da Capital
Por: Direto da Redação TSF
 
Pescadores reclamam de burocracia a uma semana da safra da Tainha (Foto: Édio Hélio Ramos / Divulgação CMF)

Em Florianópolis, a Comissão de Pesca, Maricultura, Assuntos do Mar e Agricultura da Câmara de Vereadores se reuniu com pescadores de toda a Ilha de Santa Catarina para esclarecer dúvidas sobre a pesca da tainha deste ano, que começa no dia 1º de maio, e escutar sobre as principais dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores. A reunião ocorreu na tarde de quinta-feira (25).

A maior reclamação dos pescadores é que todo ano o problema para obter a sua licença, a de barcos, redes e equipamentos, atrasa. A safra da tainha começa no dia primeiro de maio, porém o Ministério do Meio Ambiente ainda não lançou as normativas. Dessa forma, os pescadores artesanais não sabem se poderão sair para o mar.

Valdori Almeida, representante da Associação de Pescadores da Lagoinha e Ponta das Canas disse não saber se vai poder pescar.

- Todo mundo quer tainha e o pescador artesanal não tem mais nem o direito de pescar. Brigamos para ter uma licença de 3 meses e se não tiver, a polícia coloca uma metralhadora na cara, como se fosse bandido -, afirmou.

Adriano Weickert, superintendente da Pesca do município, disse que nesse ritmo a pesca artesanal vai acabar em Florianópolis:

- É tanta burocracia e atraso que os jovens não querem mais dar continuidade ao trabalho. Estamos lutando pela licença única, afinal a pesca da tainha traz um desenvolvimento econômico importante. Hoje a agricultura leva 95% dos recursos, enquanto a pesca, somente 5%, salientou.

Representante do Ministério da Pesca e Agricultura, Daniella Canavesso disse que os pescadores precisam revalidar as licenças até 30 dias antes do vencimento da mesma:

- Tanto embarcação, quanto o profissional precisam estar habilitados -, disse.

Em 2018, muitos tiveram que pescar sem a licença, que não ficou pronta a tempo por causa da demora na decisão da existência ou não das cotas para o pescado e da forma de trabalho. Dessa vez, a situação não mudou muito. O vereador Renato Geske (PR) presidente da Comissão, disse que os pescadores não podem ser penalizados pela demora do Ministério.

- Isso é inadmissível, faremos o máximo possível, para que ano que vem não ocorram esses problemas -, afirmou.

- Não podemos aceitar que a pesca artesanal se acabe em Florianópolis, várias famílias dependem exclusivamente da pesca para sustentar sua família -, afirmou o vereador Marquito (PSOL), membro da Comissão.

Estiveram presentes também o Ibama, a Polícia Militar Ambiental de Santa Catarina, o Sindicato dos Pescadores e várias associações de pescadores da cidade. Uma nova reunião será feita depois da safra da tainha, para dar continuidade aos trabalhos e evitar os problemas atuais para o ano que vem.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar