Florianópolis, Polícia - 10 Jul 2018 19:32

Preso por matar transexual encontrou bebê abandonado em 2012

Rapaz de 20 anos foi preso em Itapema e trazido para a Capital
Por: Direto da Redação TSF
 
Preso por matar transexual encontrou bebê abandonado em 2012 Camylla Roberto foi morta a pauladas (Foto: Divulgação)

Um homem de 20 anos apontado pela Polícia Civil como autor de um homicídio ocorrido em Canasvieiras, no começo de junho, já havia tido seus 15 minutos de fama em 2012. Na época, há seis anos, Junior Everton Menegildo, então com 14 anos, encontrou um bebê de apenas dois dias, abandonado numa sacola, numa rua de Chapecó.

Hoje com 20 anos, Junior Everton foi preso em Itapema, na manhã desta terça (10), quando circulava com o Ford Ka da vítima pela rua 902, e deve ser trazido para Florianópolis, onde o crime aconteceu. No final da tarde de quinta (7) de junho, Junior teria assassinado a pauladas uma transexual identificada como Camylla Roberto. O crime ocorreu num apartamento em Canasvieiras, onde Camylla residia. Junior, que já possuía outras 60 passagens pela polícia por crimes de roubo, furto, tráfico e receptação, foi apontado por testemunhas como namorado da vítima, e não foi visto mais após o crime,

Camylla era natural de São José dos Campos, interior de São Paulo, e costumava se prostituir nas ruas do bairro.Na sua página no Facebook, Camylla costumava postar lives (vídeos transmitidos ao vivo) enquanto aguardava por clientes, entre outras colegas de trabalho, nas calçadas do Centrinho de Canasvieiras.

Há seis anos, em 2012, foi também num mês de junho que Junior Everton, então com 14 anos, resolveu matar a aula para comprar roupas, em Chapecó. No caminho ele e os amigos ouviram uma espécie de miado. Ele chegou perto da sacola e viu que era um bebê.

- Ele estava chorando e quando peguei no colo ele parou de chorar -, contou, na época.

O recém-nascido estava enrolado com uma manta e dentro de uma sacola jogada num terreno baldio, na rua Licínio Córdova.

O jovem ‘anjo da guarda’ disse que a família duvidou da história. Rosana Sales, mãe de Junior, só se convenceu quando viu a criança no colo do filho.

— Tinha passado pelo local minutos antes e não vi nada de estranho — contou Rosana que chamou o Corpo de Bombeiros.

Antes da chegada dos bombeiros, o menino foi levado para um pronto-socorro particular que fica próximo ao local, onde foi aquecido. A guarnição dos bombeiros levou o bebê, que ainda tinha sangue e líquido amniótico pelo corpo, para o Hospital da Criança de Chapecó.

(Foto: Divulgação)(Foto: Divulgação)


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar