Cultura, Florianópolis, Geral - 18 Jan 2021 21:33

Procuradoria da República busca na Justiça atenção aos indígenas no TISAC

Ação busca cassar decisão do TRF e restabelecer medidas como retirar o lixo do local
Por: Direto da Redação TSF
 
Procuradoria da República busca na Justiça atenção aos indígenas no TISAC Foto: divulgação)

O procurador-geral da República, Augusto Aras, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de suspensão de liminar, com pedido de tutela de urgência, para cassar decisão proferida pela desembargadora federal Marga Inge Barth Tessler, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). O objetivo é restabelecer a determinação da 6ª Vara Federal de Florianópolis, que exigiu da Prefeitura da Capital a comprovação de que adotou providências administrativas para a retirada de lixo e desinfecção de uma área de acolhimento provisório de indígenas, conhecida como Terminal do Saco dos Limões (Tisac).

De acordo com o documento, a Prefeitura vem descumprindo a decisão judicial e o termo de compromisso assinado junto ao Ministério Público Federal. Por meio dos dois instrumentos, ficou estabelecida a obrigação por parte do Município de destinar um local de passagem para as comunidades indígenas, entre as quais, as etnias Kaingang, Guarani e Xokleng, que durante a temporada se deslocam até as praias para produzirem, distribuírem e venderem artesanatos.

Segundo a Procuradoria, além de não construir um espaço específico, a prefeitura passou a depositar lixo no Terminal ocupado pelos indígenas. Com isso, vem descumprindo a ordem judicial de limpar o local e proporcionar condições dignas para que eles possam permanecer na capital durante o verão.

De acordo com movimentos populares que tem se manifestado em favor dos indígenas, seis famílias, incluindo crianças, estão ocupando o local, mesmo em condições insalubres e sem eletricidade. De acordo com a Constituição, o Estado tem o dever de proteger as manifestações das culturas populares, indígenas e afro-brasileiras, o que inclui o direito de locomoção em território nacional para divulgar e comercializar produtos culturais decorrentes de tal manifestação, sobretudo quando essa prática representa fonte importante de subsistência.

- O atual estado do Tisac e a omissão do município de Florianópolis em cumprir as obrigações assumidas ferem o direito à vida, à saúde, à integridade e a própria dignidade humana dos indígenas -, afirma o procurador-geral, acrescentando que a postura do Poder Público representa ofensa ao direito à vida e à saúde dessa população.

Aras afirma que o artesanato integra a identidade cultural desses povos, representando sua principal forma de subsistência, daí a importância de os entes públicos construírem local adequado à recepção e abrigo dessa população, a fim de assegurar condições mínimas de higiene, saúde e dignidade durante a estadia.

- A recusa ao cumprimento da obrigação de manter, higienizar e adequar minimamente o local para servir como abrigo temporário aos indígenas, pelo município de Florianópolis, viola direitos fundamentais dos povos afetados -, prosseguiu ele. Tais obras mínimas referem-se à salubridade de local provisório de acolhimento de indígenas.

Foto: divulgação)Foto: divulgação)

Entenda o caso
Em 2016, o MPF propôs ação civil pública contra a União, a Fundação Nacional do Índio (Funai), o estado de Santa Catarina e o município de Florianópolis. Na oportunidade, requereu a condenação dos réus à obrigação de construir uma Casa de Passagem para as comunidades indígenas. Pediu ainda que, enquanto não ficasse pronta a obra, fosse providenciado e tornado disponível um local adequado para receber, acomodar e resguardar qualquer membro de comunidades indígenas.

Em outubro de 2018, por meio de termo de compromisso, o município se comprometeu a disponibilizar estruturas provisórias em área pública da União, o Tisac, no bairro do Saco dos Limões. Comprometeu-se também a iniciar a implantação de uma Casa de Passagem definitiva, ainda em 2019. Mas ambos os compromissos deixaram de ser cumpridos.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar