Educação, Florianópolis, Geral - 07 Ago 2018 20:27

Projeto no Hospital Universitário atende crianças com dificuldades na escola

Projeto trabalha a situação escolar, o contexto social, o desenvolvimento humano e o conceito amplo de saúde
Por: Direto da Redação TSF
 

O HU - Hospital Universitário de Florianópolis, que pertence à Universidade Federal de Santa Catarina, vinculado à Rede Ebserh, mantém um núcleo dentro do Setor de Pediatria voltado exclusivamente para trabalhar com crianças e adolescentes de seis a 14 anos que apresentam dificuldades na escola. Trata-se de uma equipe multiprofissional e interdisciplinar que compõe o Núcleo Interdisciplinar de Apoio ao Desenvolvimento Humano – Núcleo Desenvolver e já atendeu mais de mil crianças ou adolescentes.

Com 20 anos de existência, o Núcleo Desenvolver faz parte da estrutura da Unidade de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente e realiza atendimentos de várias áreas – pediatria, psicologia, psiquiatria, pedagogia, psicopedagogia, assistência social e fonoaudiologia – para fazer um diagnóstico da situação da criança ou adolescente, apontando as causas da dificuldade escolar e encaminhamento para tratamento.

Para o pediatra e professor João Carlos Xikota, diretor da Unidade de Cuidado da Criança e Adolescente, o objetivo não é trabalhar somente a situação escolar do adolescente que chega até o núcleo.

- Estamos trabalhando com o futuro desta criança e da sociedade, pois um jovem que tem dificuldades na escola vai ser um adulto com dificuldades no mercado de trabalho, por exemplo -, justificou, lembrando que um jovem que desiste da escola gera consequências negativas para si mesmo, para a família e a para a sociedade.

Segundo ele, a ideia do núcleo considera o conceito amplo de saúde – que trata não apenas a questão de enfermidades, mas também o bem-estar social.

- Nós trabalhamos para que este jovem se sinta motivado, se sinta inserido na sociedade e descubram que têm potencial -, disse o professor, apontando um quadro na parede do núcleo com imagens de gênios da ciência, como Albert Einstein e Nicolas Tesla, que tiveram problemas de dislexia.

A pedagoga Evandra Donatti, que trabalha no núcleo, disse que as crianças passam por uma série de entrevistas e avaliações – que chegam a 25 sessões, com profissionais de todas as áreas envolvidas – para concluir um diagnóstico diferencial das causas que as levam a não aprenderem e a ter um baixo desempenho escolar.

- Pode se concluir diversas causas, como: dislexia, déficit de atenção e hiperatividade, problemas emocionais, problemas metodológicos ou mesmo problemas de relacionamento familiar ou com colegas na escola. Tudo isso é observado pela equipe multiprofissional -, explicou.

De acordo com a pedagoga, atualmente a equipe está se reformulando e em busca de um convênio para que possa voltar a atender a pleno vapor, já que a avaliação para cada criança ou adolescente dura dois meses. Hoje, há uma fila de espera, tendo em vista que muitas mães procuram diretamente o núcleo ou recebem recomendação, após consulta médica no HU, e somente uma equipe completa e estruturada pode garantir este trabalho.

Uma das voluntárias é a psicopedagoga Darcy Maragno, que ressalta a importância do trabalho do núcleo uma vez que a aprendizagem humana se dá nas dimensões bio-psi-social, sendo o núcleo referência nessa área de conhecimento com expertise de 20 anos nesse trabalho.

- Estes atendimentos, feitos em conjunto, existem em poucos lugares. Geralmente, as famílias recebem esse tipo de atendimento por especialistas isolados, como psicólogo, ou neurologistas, por exemplo, o que dificulta e encarece esse processo. Mas um trabalho multiprofissional destas dimensões não se encontra com facilidade. Isso sem considerar o alto custo de um diagnóstico deste nível -, explicou.

Para divulgar a importância destas atividades e reforçar a necessidade de continuidade das ações do núcleo, a equipe está preparando uma comemoração para os 20 anos de existência, que serão completados neste ano. Em outubro, está prevista a realização de palestras na universidade, quando serão apresentados os trabalhos do núcleo e ouvidos especialistas sobre os métodos usados neste trabalho multidisciplinar.

Sobre a Ebserh
Desde março de 2016, o HU-UFSC faz parte da Rede Ebserh. Vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

Criada em dezembro de 2011, a empresa administra atualmente 40 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar