Esportes, Florianópolis, Geral, Turismo, Verão - 13 Dez 2018 19:16

Treino Travessias surgiu da prova anual de natação até a Ilha do Campeche

O projeto tem mais de 250 integrantes e é um dos maiores do gênero no Brasil
Por: Direto da Redação TSF
 
Treino Travessias surgiu da prova anual de natação até a Ilha do Campeche (Foto: Divulgação)

Todo domingo um grupo animado se reúne em uma praia catarinense para fazer o que ama: cair no mar e treinar. São pessoas de diferentes idades, mas que têm em comum a paixão pelo esporte. O projeto Treino Travessias surgiu a partir da necessidade que a nadadora Regina Feldmann e o sócio Mauricio Cangiani identificaram com a realização da Travessia da Ilha do Campeche, uma das provas mais tradicionais do calendário estadual, e que acontece no mês de março.

- Percebemos que não existiam profissionais que treinavam pessoas para que elas ficassem à vontade no mar e aprendessem a se portar neste ambiente aquático. O primeiro treino aconteceu em fevereiro de 2016 e desde então o grupo só cresceu, chegando aos 256 integrantes atuais -, celebra Regina.

Para organizar a movimentação, três pessoas acompanham a previsão do tempo durante a semana e na quinta-feira é revelado o local do encontro, que acontece todo domingo, mesmo durante o inverno. Com a crescente procura, já são três níveis e percursos com intensidades diferentes. Um grande staff faz a segurança com botes, jet ski, caiaques e stand up paddles.

- Temos muito cuidado com a segurança dos nossos nadadores. Infelizmente vejo muita gente inconsequente. Ser nadador de piscina é bem diferente de ser nadador do mar. É preciso ter respeito! Nunca nadar sozinho, sempre usar boia de sinalização, touca com cor chamativa e avisar os salva-vidas. Jamais entrar sozinho se não tiver alguém na praia -, alerta.

A participação das mulheres nas travessias também tem crescido bastante e já existe inclusive um grupo próprio: o cardume rosa! As integrantes se reúnem para ações como coletar lixo nas ilhas, doação de sangue, plantio de árvores, além dos treinos, é claro.

- Formamos um grupo que tem uma função social, sem preconceito, gênero ou classe. É claro que quando nos encontramos temos bate-papos típicos de mulher, mas o nosso elo principal é o amor ao esporte -, afirma.

Com sua energia contagiante, Regina trabalha para que cada vez mais pessoas descubram o poder do mar.

- Precisamos vencer os medos e superar os desafios, assim como fazemos no mar. Independente da idade podemos viver essa emoção -, finaliza.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar