Florianópolis, Geral, Grande Floripa, Meio Ambiente, Turismo, Verão - 07 Nov 2017 13:04

Temporada das baleias termina com menor avistamento em 15 anos

Neste ano foram apenas 49 observações registradas
Por: Direto da Redação TSF
 
Temporada das baleias termina com menor avistamento em 15 anos (Foto: Paulo A. C. Flores / Divulgação)

A temporada de baleias-francas no litoral sul do Brasil está chegando ao final com o menor número de baleias desde 2002. Nas últimas semanas, o número de avistagens foi diminuindo. Na quinta (2), uma equipe do Projeto Baleia franca (PBF/Instituto Australis consegiu registrar uma imagem de uma fêmea com o filhote. As fllmagens podem sr as úlitmas da temporada.

Durante o primeiro sobrevoo desta temporada, realizado em julho, foram registradas 29 baleias, no segundo, realizado em setembro, 49 animais estavam na região. A bióloga Karina Groch, diretora de pesquisa do Projeto Baleia Franca, relata que a temporada de 2017 iniciou com ocorrências de baleias-francas dentro da média, com os primeiros avistamentos realizados em junho em Itapirubá, na Praia do Rosa, e mais ao sul, em Passo de Torres.

Abaixo, imagens da baleia franca avistada com filhote em Itapoá, e também imagens de baleias francas feitas na praia da Vila, ambas em Imbituba.


Porém, o total de avistamentos foi o menor dos últimos 15 anos, o que ainda não preocupa os pesquisadores: Ao longo de toda a temporada foram registrados no total 372 avistagens, totalizando 653 baleias-francas (incluindo recontagens), sendo a maioria pares de mãe e filhote.

Segundo Karina, chamou a atenção a baixa ocorrência de baleias na enseada da Ibiraquera e Ribanceira, uma das principais enseadas de ocorrência da espécie na região. Nesta enseada, apenas em outubro houve uma grande frequência de baleias sendo registrados em alguns dias até 5 pares de mãe e filhote, diferente de outras temporadas, quando a ocorrência era ao longo de toda a temporada reprodutiva. 

- Monitorando a flutuação do número de baleias ao longo dos anos, identificamos que a redução tem influência das alterações climáticas, tanto naturais, como o El Niño, quanto intensificadas pelo homem. Essas mudanças comprometem a disponibilidade de alimento para as baleias e isso está associado à taxa reprodutiva -, disse.

Karina explica ainda que os animais vêm para o Brasil para reprodução, por isso, quando as fêmeas não se alimentam direito podem não engravidar, ou não vir até o país, ficando no litoral da Argentina.

- Precisamos continuar acompanhando e cruzando nossas informações para, caso haja alguma outra influência, identificar. Então, em princípio, não estamos preocupados porque já tínhamos esse indicativo, mas precisamos continuar acompanhando nos próximos anos - complementa a pesquisadora.

Outubro foi também o mês de maior frequência de avistagens ao longo da temporada, diferente de outros anos, em que o pico de ocorrência foi setembro. Estes dados são indicativo de mais uma temporada atípica. Karina ressalta ainda a importância do monitoramento sistemático desta e das outras enseadas da região, para entender a dinâmica de ocorrência da espécie.

Através do monitoramento terrestre é possível tem um acompanhamento diário da sazonalidade da ocorrência de baleias ao longo da temporada e ter o indicativo de quando as últimas baleias estão deixando a região, retornando para sua área de alimentação na região Antártica.

O Projeto Baleia Franca realiza monitoramento aéreo das baleias franca desde 1987. A população de baleias começou a demonstrar sinais de um rápido crescimento a partir de 2002, quando 124 baleias foram registradas em setembro. O número de baleias chegou a quase 200 em 2006 e 2011, porém ao longo dos anos ocorreram flutuações, o que é natural da espécie, em função do intervalo reprodutivo tri-anual.

Desde 2002, o PBF tem registrado uma média de 109 baleias no litoral centro-sul de Santa Catarina. Desde 2015 tem sido observado um comportamento atípico de ocorrência das baleias-francas no litoral sul do Brasil, possivelmente decorrente de anomalias climáticas que estão interferindo na disponibilidade de alimento para as baleias franca na Antártida, e consequentemente no sucesso reprodutivo.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar