Florianópolis, Geral, Obras, Trabalho - 17 Out 2020 10:58

TRT/SC vai poupar R$ 400 mil por ano com transferência para prédio próprio

O espaço alugado ficava no bairro Capoeiras, região continental da Capital
Por: Direto da Redação TSF
 
TRT/SC vai poupar R$ 400 mil por ano com transferência para prédio próprio (Foto: divulgação)

O Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (TRT-SC) entregou na sexta (16) o imóvel utilizado em Florianópolis que nos últimos dez anos abrigou o Arquivo-Geral, onde eram armazenados documentos físicos do acervo do órgão. O espaço alugado ficava no bairro Capoeiras, região continental da Capital. Considerando os R$ 254,7 mil anuais gastos com aluguel, somados a despesas como imposto predial, taxa de coleta de lixo, energia elétrica, água e esgoto, vigilância, limpeza e manutenções diversas (da estrutura, condicionadores de ar, elevadores, entre outras), a medida irá gerar uma economia de cerca de R$ 406 mil por ano.

Com o encerramento do contrato de locação, o Arquivo-Geral passou a funcionar em um novo endereço no bairro Estreito, no imóvel da União onde já funciona o Almoxarifado do TRT-SC. A mudança foi interrompida em três oportunidades em razão do quadro sanitário da covid-19, tendo sido concluída em setembro. Foram movimentadas cerca de 45 mil caixas de processos, operação que contou com a ajuda de um caminhão disponibilizado pelo Tribunal de Justiça (TJ-SC).

Cerca de 50 móveis e equipamentos eletrônicos que não serviriam no novo espaço do Arquivo-Geral estão em processo de doação para o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBM-SC) e a Autarquia de Melhoramentos da Capital (Comcap).

Conjunto de medidas

A transferência do Arquivo-Geral faz parte de um conjunto de medidas adotadas pela atual Administração com foco na contenção de despesas, uma vez que as restrições orçamentárias impostas à Justiça do Trabalho desde 2016 tiveram seu ápice em 2020. O prédio do Arquivo-Geral é o segundo imóvel devolvido na atual gestão, que tem pautado sua administração pela otimização dos recursos.

- Desde o início, mesmo antes da pandemia, nossa maior preocupação era a economia e eficiência na utilização dos recursos públicos, redução e compartilhamento de espaços, utilização de novas tecnologias e sustentabilidade -, ressalta a presidente, desembargadora Lourdes Leiria.

Em virtude da transferência do acervo, está sendo dada prioridade a um projeto de digitalização para eliminação de documentos e processos físicos findos, visando à redução do espaço necessário ao armazenamento da documentação. Em julho deste ano também foi entregue o prédio da área judiciária de segundo grau, depois de quase sete anos funcionando em um edifício alugado na avenida Rio Branco, no Centro da Capital, gerando uma economia anual de cerca de R$ 5 milhões. Na época, a medida gerou um histórico voto de louvor ao TRT-SC, proposto pela presidente do TST e CSJT, ministra Maria Cristina Peduzzi, e acolhido pelo órgão especial.


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Floripa.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar